Museu da TV, Rádio & Cinema

A música perde a alegria e o talento de Moraes Moreira



O cantor e compositor Moraes Moreira morreu no último dia 13 de abril, aos 72 anos, em sua residência no bairro da Gávea, Rio de Janeiro. Moraes sofreu um infarto agudo do miocárdio.

Umas das grandes e mais alegres vozes da Música Popular Brasileira, ele fez parte do lendário grupo Novos Baianos e é responsável por clássicos como Brasil PandeiroAcabou Chorare, Pombo CorreioDê um Rolê, entre  centenas de outras composições.

Natural de Ituaçu, no interior da Bahia, e considerada o Portal da Chapada Diamantina, Moraes Moreira começou sua trajetória como instrumentista aos doze anos, tocando sanfona em festas da região. Ainda adolescente aprendeu a tocar violão, mas foi em Salvador, que Moraes conheceu o rock. Chegou às guitarras com o novo ritmo, que foi apresentando a ele pelo amigo Tom Zé.

Os Novos Baianos vieram alguns anos depois, quando ele conheceu Paulinho Boca de Cantor, Luiz Galvão, Baby Consuelo e Pepeu Gomes. Juntos, eles foram responsáveis por uma verdadeira revolução na MPB. O álbum Acabou Chorare, de 1972, composto quase que totalmente por Moraes Moreira e Galvão, foi considerado pela revista Rolling Stone como o maior disco da música brasileira.

Em carreira solo a partir de 1975, Moreira é considerado o primeiro cantor de trio elétrico do Brasil. Por alguns anos, o Trio de Dodô e Osmar e o Carnaval de Salvador foram os palcos de Moraes Moreira, que continuou se destacando e lançando sucessos.

Ele gravou cerca de  40 álbuns e, durante toda a carreira, viajou por ritmos como baião, samba, choro,  frevo e rock.

 

museudatv

museudatv

 
Apoio
ABCD Nossa Casa
ABCcom
ABTU
ACESP
Apodec
Centro Universitário Belas Artes
Coleção Marcelo Del Cima
Comunique-se
Grupo Observatório
RITU
SET
Sindicato dos Radialistas de São Paulo
Toda Tela
TUB
Universidade Anhembi Morumbi
APJ
UBI
 

Siga-nos nas Redes Sociais