PRÓ-TV

A história da TV Itacolomi

A pioneira em Minas Gerais

Pertencente ao grupo dos Diários Associados, a Rádio Guarani de Belo Horizonte obteve do governo federal a 1ª concessão de um canal de tv na capital de Minas Gerais, em 1951. Antes de estrear, a “TV Rádio Guarani” foi rebatizada por seu dono, Assis Chateaubriand, inspirado no pico do Itacolomi, que se ressaltava no horizonte mineiro. A TV Itacolomi foi a 1ª emissora do país montada exclusivamente por técnicos brasileiros, orientados por Víctor Purri. Um auditório foi providenciado na avenida Tocantins, 499.

O estúdio foi construído no 24° andar do edifício Acaiaca, situado na avenida Afonso Pena, 867. O raio de alcance do canal ia pouco além de Belo Horizonte, até as cidades de Sabará, Betim, Nova Lima e Caeté. Fernando Barroca Marinho foi indicado para a direção artística. Às 19h30 do dia 08/11/55, aconteceu a inauguração oficial do canal 4. Na tela apareceu o logotipo da RCA Victor estampado num imenso círculo de papel, que foi rasgado pelo locutor Bernardo Grimberg, numa entrada triunfal. O arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, D. Antônio dos Santos Cabral, abençoou a emissora. Além de Chateaubriand, dono da Tupi e da Itacolomi, discursaram o superintendente Victor Purri, o diretor dos Diários Associados em Minas, Newton Paiva Ferreira, o presidente eleito da República – Juscelino Kubitschek, o governador Clóvis Salgado e os padrinhos da estação: Cristiano Guimarães e Ana Amélia Faria.

Após a solenidade, foi ao ar às 20h50 a 1ª atração artística: um recital do Coro Pró-Óstia. Carlos Leite, que viria a fazer sucessso nos anos 70 como o personagem Beleza no programa ‘Chico City’, na Globo, dirigiu um número do Ballet de Minas Gerais; Roberto Márcio e Marina Carla comandaram “Divertimentos Mobin”; Marly Bueno, Clélia Simoni, Romeu Fere e Leny Caldeira apresentaram “Honra ao Mérito” e a cultura mineira foi analisada no programa “Minas por Minas”. Com o reforço de técnicos e artistas da TV Tupi, a festa de lançamento continuou por uma semana. Só então a emissora entrou no ritmo normal. O 1° noticiário fixo foi “Repórter Real”, apresentado por Milton Panzi. O departamento de esportes era dirigido por Cleto Filho. Uma das “crias” do canal foi o diretor Mário Lúcio Vaz. No “Grande Teatro Lourdes” e “Grande Teatro Windsor”, destacaram-se os atores Amílton Fernandes, Paulo Maurício, Sérgio Cardoso, Jardel Melo, Toni Vieira e Heloísa Helena. Freqüentemente, artistas do Rio de Janeiro e São Paulo eram convidados para atuar nos teleteatros da Itacolomi. Lady Francisco era então a principal garota propaganda local. Dona Alzira Santos cozinhava em “A Arte de Comer Bem” e a garotada se divertia com “No Reino do Faz de Conta” e o “Circo Itacolomi”. Parte da programação era preenchida com filmes e seriados estrangeiros, além dos programas da Tupi de São Paulo e Rio de Janeiro, remontados em Belo Horizonte (‘O Céu É o Limite’ – com Oduvaldo Cozzi; ‘Esta É a Sua Vida’ – com Carlos Gaspar; ‘Gladys e Seus Bichinhos’ – com a apresentadora original e ‘Câmera Um’). Já nos anos 60, os programas de auditório de Fernando Sasso e Dirceu Pereira tiveram grande receptividade. Posteriormente, a estação mudou de endereço, para a Rua Assis Chateaubriand, n° 499, e seu transmissor passou para a Serra do Curral. Como as demais emissoras da Rede Tupi, a Itacolomi teve sua concessão cassada, saindo do ar em 18/07/80, com 25 anos de vida.

Fonte: Almanaque da TV – 50 Anos de Memória e Informação”, Ricardo Xavier (Ed. Objetiva, 2000), com autorização do autor.

Na imagem: cena da peça “Há Dois Mil Anos”, escrita por Geraldo Vietri, baseada na obra psicografada de Chico Xavier. Encenada pela emissora em 1965.

Elmo Francfort

O autor é Gestor de Conteúdo da PRÓ-TV, além de consultor de televisão, na área de pesquisa e teledramaturgia. Faz parte da associação desde 2001. Já escreveu inúmeros livros sobre a história da televisão brasileira, sua área de especialidade.

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais