PRÓ-TV

Raul Tabajara, a histórica voz  da locução esportiva da TV Record



Raul Tabajara Vidigal Leitão nasceu em Uberlândia, Minas Gerais, em 20 de setembro de 1918. Sua mãe era a comediante luso-brasileira Violeta Ferraz, que fez muito sucesso no cinema e no teatro do Brasil, inclusive trabalhando em marcantes filmes da Cinédia, pioneiro estúdio de cinema, fundado em 1930 por Adhemar Gonzaga.

Em 1940, o jovem Raul, residindo na paulista Jaboticabal, faz a sua estréia no rádio, como locutor comercial da emissora local. Depois trabalhou ainda em rádios de Ribeirão Preto e de Poços de Caldas, até chegar à capital paulista, para trabalhar na Rádio Cruzeiro do Sul e também na Rádio Kosmos, ambas emissoras da Família Byington .

Nessa ultima, trabalhando com o veterano radialista Egas Muniz, ajudou no lançamento artístico da dupla Cascatinha e Inhana.No final da década de 40, se transfere para as Emissoras Unidas, conglomerado de três estações de rádio de propriedade do futuro “Marechal da Vitória” Doutor Paulo Machado de Carvalho. Na Rádio São Paulo trabalha com Waldemar Ciglione e na Rádio Panamericana, ingressa na equipe esportiva e não demora muito para ser um dos narradores de partidas futebolísticas desta emissora, que hoje se denomina Rádio Jovem Pan.

Em 27 de setembro de 1953 nasce a TV Record, e Raul Tabajara é um dos fundadores de sua equipe de esportes. Ali trabalha com ícones como Murillo Antunes Alves, Geraldo José de Almeida, Silvio Luiz, Tom Barbosa e Leônidas da Silva durante a década de 1950. É o locutor esportivo titular da Record nas Olimpíadas de Melbourne na Austrália em 1956 e da Copa do Mundo de Futebol da Suécia em 1958, que deu à Seleção Brasileira o primeiro titulo mundial.

São transmissões que embora não fossem ao vivo, em virtude das dificuldades técnicas da época, conseguiram cativar o telespectador brasileiro, em especial o público paulista. Nessa mesma década, Tabajara apresenta no Canal 7 outros marcantes programas como “Fantasia” e “A Dona de Casa é a Dona da Casa”, que sempre registravam bons índices de audiência. E nos anos 1950 foi o locutor esportivo de televisão recordista de Prêmios Roquette Pinto, conquistando merecidamente 5 troféus consecutivamente nos anos de 1955, 56, 57, 58 e 59. Para a crítica televisiva ele foi o melhor Narrador de Esportes na TV naquela década.

Chegam os anos 1960 e Raul Tabajara já é um dos maiores cartazes da TV Record, onde trabalha com uma nova geração de colegas como Paulo Planet Buarque, Ernesto de Oliveira e Darcy Reis. No Olímpico ano de 1960, nos Jogos de Roma, as imagens em vídeo tape que chegavam ao Brasil eram brilhantemente narradas por ele. E em razão desse trabalho, ganhou os 3 principais prêmios televisivos de São Paulo daquele ano : o Troféu Imprensa (o seu primeiro ganhador), o Troféu Tupiniquim e o seu sexto Roquette Pinto. Esse sucesso se repetiu em 1962, ano da Copa Mundial de Futebol no Chile, onde o Brasil se sagrou Bicampeão Mundial.

Os feitos heróicos de Pelé, Garrincha, Didi, Nilton Santos, Zito, Gilmar,  Vavá, Castilho, Zagallo, Mauro, Pepe, Bellini, Zozimo, Djalma Santos, Amarildo e tantos outros futebolistas sob o comando do técnico Aymoré Moreira,
chegaram aos telespectadores com emoção, correção e precisão na voz marcante de Raul Tabajara, que também fez a locução de outros históricas vitórias esportivas de heróis nacionais como Adhemar Ferreira da Silva (no atletismo), Eder Jofre (no boxe) e Maria Esther Bueno (no tênis).

Toda essa popularidade rendeu a Raul Tabajara a eleição para uma das vagas na Câmara Municipal de São Paulo em 1963, pelo recém-criado MTR (fundado pelo deputado Fernando Ferrari, falecido precocemente em desastre aéreo). Como parlamentar, presidiu a Comissão de Educação e Cultura e também a Comissão de Saúde, lutando também de forma incansável pelo Desporto na capital paulista. Em 1969, deixa a Câmara de Vereadores da Paulicéia e nos anos 1970 trabalha na Radio Marconi e também se dedica ao seu clube de coração, a Portuguesa de Desportos.

Em 16 de abril de 1978, Raul recebe a triste noticia do falecimento de seu amigo e mestre Vicente Leporace. Foi emoção e tristeza demais para o coração desse grande profissional, que falece dois dias depois com apenas 59 anos, deixando inconsolável sua mãe e uma legião de amigos e admiradores.  Seu sepultamento no Cemitério São Paulo reuniu mais de cinco mil pessoas.

Hoje, Raul Tabajara é nome de creche; de rua e de centro esportivo em São Paulo e sua singular obra televisiva ainda é e será por muito tempo recordada por sua infinita legião de admiradores  que tiveram o privilegio de ouvir as suas hoje legendárias locuções.

Viva Raul Tabajara, a voz querida do esporte dos tempos áureos da TV Record !

Rodolfo Bonventti

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais