PRÓ-TV


GONZAGA BLOTA


Gonzaga Blota é de uma família conhecida do interior paulista e que, vindo para São Paulo, capital, fez nome nos veículos da comunicação. O mais famoso deles foi Blota Junior, que desde cedo, quando estudou Direito na Faculdade São Francisco, formou-se dentre os primeiros lugares. E foi ainda um político importante de seu tempo.Conhecido somente como Blota Junior, ele trouxe todos os irmãos para a capital e entre eles, Gonzaga Blota, nascido em Ribeirão Bonito, a 22 de março de 1928.

De temperamento mais introvertido, menos falante que o irmão famoso, Gonzaga, porém, fez uma carreira importante em nossas emissoras. Ligou-se à parte que é artística e técnica, ao mesmo tempo.Foi ser diretor de novelas. Começou na TV Excelsior, que era o canal 9 de São Paulo. Foi em 1965 e aquela emissora entrava com tudo, disposta a derrubar a TV Tupi, que era a tradicional. Gonzaga Blota começou dirigindo o seriado “Canal 9 Contra O Senhor Espectro”. Em seguida , ficou à frente de grandes produções, como “A Muralha”, “Os Estranhos”, “Dez Vidas” e “Mais Forte que o Ódio”.

Quando a TV Excelsior foi à falência Gonzaga fez a direção de “Shazan,Xerife e Cia”, na TV Globo e “Jerônimo, o Herói do Sertão”, na TV Tupi do Rio. Depois o diretor fixou-se na rede Globo e esteve à frente de uma serie enorme de sucessos. Dirigiu “Fogo Sobre Terra”, “Supermanoela”, “O Crime do Zé Bigorna”, “Saramandaia”, “Duas Vidas”, “Espelho Mágico”, “O Astro”, “Sinal de Alerta”, “Dancin’Days”, ” Carga Pesada”, “Pai Herói”, “Marrom-Glacê”, “Chega Mais”, “Plumas e Paetês”, “O Amor é Nosso”, “O Homem Proibido”, “Paraíso”, “Pão Pão, Beijo Beijo”, “Voltei Pra Você”, “Amor com Amor se Paga”, “Roque Santeiro”, “O Outro”, “Fera Radical”, “Salvador da Pátria”, “Gente Fina”, “Pedra Sobre Pedra”, “O Mapa da Mina”, “Tropicaliente”,  “Malhação” e “O Fim do Mundo”.

Além de ser diretor de novelas,Gonzaga Blota também teve sua fase de ator, quando iniciou a carreira. Fez em 1954″O Circo Chegou à Cidade”, em 57 “Alma da Noite” e “A Mansão dos Daltons”, em 58 “Cidade Perdida”, em 65 “O Céu é de Todos”,  em 68 “Os Tigres”, em 77 “O Astro” e participou também de “Dancin’Days”.

Mas seu valor e credibilidade era mesmo como um grande diretor de novelas do Brasil.

Desde o final dos anos noventa encontra-se aposentado da televisão, vivendo ao lado de sua companheira de longa data, a atriz Cleyde Blota.

por Vida Alves /revisado em 30-06-2017 / M.A.Z.

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais