PRÓ-TV


EDUARDO COUTINHO


Eduardo Coutinho foi um documentarista.Ele nasceu em São Paulo, em 11 de maio de 1933. É considerado como um dos mais importantes documentarista brasileiros. Eduardo Coutinho cursou Direito, em São Paulo, mas não chegou a concluir a faculdade. Em 1954, teve seu primeiro contato com o cinema, num seminário, promovido pelo MASP, e dirigido por Marcos Marculiés; Também trabalhou na revista VISÃO, de 54 a 57.

Começou em teatro, dirigindo a peça de Maria Clara Machado: ” Pluft, o Fantasminha”.

Ganhou um concurso de televisão, respondendo perguntas sobre o grande ator Charles Caplin.

Com o dinheiro do prêmio, Eduardo Coutinho foi para a França estudar direção e montagem, no IDHEC. Foi quando começou a realizar seus primeiros documentários.Quando voltou ao Brasil, em 1960, ligou-se ao Centro Popular de Cultura da UNE- União Nacional de Estudantes O núcleo era dirigido por Chico de Assis. Trabalhou então na peça: ” Mutirão em Nosso Sol”. E foi gerente de produção do primeiro filme produzido pelo CPC, no longa- metragem: ” Cinco Vezes Favela”. Depois disso começou a trabalhar um projeto de ficção, baseado em fatos reais, que foi o assassinato do líder das Ligas Camponesas João Pedro Teixeira, a ser interpretado pelos próprios camponeses do Engenho Cananéia, no interior de Pernambuco. A viúva de João Pedro, Elizabeth Teixeira, faria o próprio personagem. O filme se chamaria: ” Cabra Marcado Para Morrer”. Este filme chegou a ter duas semanas de filmagens, mas veio o Golpe Militar de 1964, quando parte da equipe foi presa e a outra parte se dispersou. E a realização do filme foi interrompida.

Em 1966, constituiu com Leon Hirszman e Marcos Faria, a produtora: Saga Filmes. Dirigiu depois o longa:” O ABC do Amor”. Em 68, fez: ” O Homem que Comprou o Mundo”. Em 70: “Faustão”. Em 76: ” O Pistoleiro da Serra Talhada” e ainda:” Seis Dias em Ouricuri”. Em 78 “Teodorico, Imperador do Sertão”, em 79: ” Exu, Uma Tragédia Sangrenta”, Em 80: “Portinari,o Menino de Brodosqui”, em 84: ” Cabra Marcado para Morrer”, em 87:” Santa Marta- Duas Semanas no Morro”; Em 89: ” Volta Redonda, o Memorial da Greve”, em 89:” O Jogo da Dívida”, em 91: ” O Fio da Memória”, em 92: ” A Lei e a Vida”, em 93: “Boca do Lixo”, em 94: ” Os Romeiros do Padre Cícero”, em 99: ” Santo Forte”, em 2000: ” Babilônia-2000″, em 2002: ” Edifício Master”, em 2004: ” Peões”,em 2005: ” O Fim e o Princípio”, em 2007: Jogo de Cena”, em 2009: ” Moscou” e em 2011, “As Canções”, seu último trabalho.

Eduardo Coutinho fez parte da equipe de produtores e documentarista da Rede Globo, no programa: Globo Repórter.

Com o sucesso do filme: ” Cabra Marcado Para Morrer”, Eduardo Coutinho deixou a Rede Globo e passou a se dedicar só ao cinema.

Recebeu inúmeros prêmios em sua trajetória. Quase uma dúzia de prêmios,tanto nacionais, como internacionais. Ele também escreveu roteiros para séries documentais da TV Manchete e da Rede Globo.

Faleceu em 2 de fevereiro de 2014, aos 80 anos, vítima de uma morte trágica: assassinado pelo próprio filho, que era esquizofrênico.

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais