PRÓ-TV


DIRCINHA BATISTA


O nome completo da cantora Dircinha Batista é Dirce Grandino de Oliveira. Ela nasceu em 7 de abril de 1922, na capital paulista e faleceu em 18 de junho de 1999. Era filha de Batista Junior.Sua irmã Linda Batista também era cantora. Dircinha foi atriz e participou de inúmeros filmes brasileiros.

Criança prodígio, Dircinha começou a se apresentar nos palcos aos seis anos de idade. Apresentava-se nos shows de seu pai Batista Junior, em São Paulo e no Rio de Janeiro. Em 1930, aos oito anos, gravou seu primeiro disco:” Borboleta Azul ” e ” Dircinha”, pela gravadora Columbia. Cantou no programa de Francisco Alves, grande cantor da época, na Rádio Cajuti, onde ficou até os dez anos de idade. Depois transferiu-se para a Rádio Clube do Brasil. Em 1933, gravou: ” A Orfã” e ” Anjo Enfermo”.E aí começou realmente a vida profissional da cantora e atriz Dircinha Batista, que durou mais de 40 anos e que teve inúmeros sucessos. Todos os compositores importantes da época, davam músicas para Dircinha e sua irmã Linda gravarem, pois era certeza de sucesso. E assim ela gravou músicas de Ary Barroso, Chiquinha Gonzaga, Jair Amorim, José Maria de Abreu, Garoto, David Nasser, Wilson Batista, Oswaldo Santiago, Alberto Ribeiro, João de Barro, Lupicínio Rodrigues, Herivelto Martins, Lourival Faissal e outros tantos.

E dentre as centenas de músicas que gravou, citemos , como as mais importantes: ” O Sanfoneiro Só Tocava Isso”; ” Upa! Upa” ( Meu Trolinho); ” Uma Orquestra”; “Rio”; ” Senhora”; ” Quando o Tempo Passar”; “Piriquitinho Verde”;” Nunca”; ” Máscara da Face”; ” Mamãe eu Levei Bomba”, “Estranho Amor”; ” Alguém como Tu”; ” Abre Alas”. ” Casinha de ´Sapé”;” Máscara da Face”, e inúmeras outras.

Em 1940, Dircinha Batista fez sucesso no carnaval com a música: ” Katucha”, de Georges Moran e Oswaldo Santiago . Teve sucesso também com ” Upa! Upa” e outras músicas. Então lhe foi oferecido um contrato milionário com a Rádio Ipanema e ela fez uma turnê internacional. Em 1945, fez sucesso com: ” Eu Quero É Sambar”. Em 1947, fez o filme: ” Fogo na Cangica”. Em 1948, foi coroada ” Rainha do Rádio”. Em 1952, trabalhando na Rádio Nacional, apresentava o programa: “Recepção”, que lhe trouxe prêmios pela SBACEM e pela UBC. Ela e a irmã Linda, eram as principais cantoras do Rádio.

Em 1953, Dircinha Batista apresentou-se em teatro pela segunda vez. A primeira foi em 1952. Nessa apresentação de 1953, apresentou o sucesso: ” Se Eu Morresse Amanhã de Manhã”, de Antônio Maria.

Sua filmografia também é enorme. Atuou em 30 filmes, tendo sido o primeiro em 1935, de nome: ” Alô Alô Brasil”. Em 1936, fez: ” Alô Alô Carnaval”. E assim continuou, aparecendo todos os anos em produções nacionais. Fez sucesso em 1940, com : ” Laranja da China”. Em 47, com: ” Fogo na Canjica”. E assim con tinuou sempre; Fez: ” Carnaval Barra Limpa”; “007 e Meio no Carnaval”; ” Entrei de Gaiato”; ” `´E de Chuá”; “Metido a Bacana”; ” Tira a Mão Daí”; ” Carnaval no Fogo”, e dezena de outros.

O estilo de Dircinha, diferente da irmã, era mais brejeira, gaiata, alegre. Mas, na década de 70, quando sua mãe faleceu, ela deixou de cantar. Entrou em depressão. Nos anos 80, conheceu o cantor José Ricardo, que a amparou e às suas duas irmãs: Linda e Odete. Mas Dircinha deixou mesmo de cantar. E veio a falecer, aos 77 anos, em 18 de junho de 1972.

Anos mais tarde foi lançado o musical: ” Somos Irmãs”, estrelado por Nicete Bruno e Suely Franco, em homenagem á Linda e Dircinha Batista, cantoras do Brasil jamais esquecidas.

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais