Museu da TV, Rádio & Cinema

Mais admirado jornalista brasileiro, Ricardo Boechat nos deixou



Consternada, como a maioria da população brasileira, de Norte a Sul do País, a Pró-TV/Museu da TV presta uma última homenagem àquele que era considerado um dos jornalistas e âncoras mais importantes e premiados do rádio e da televisão brasileiros, Ricardo Boechat.

Para Thais Alves, presidente da Pró-TV, “Ricardo Boechat era o nosso maior comunicador. Um jornalista que ouvia o público e trazia o mesmo para participar de todos os programas que ele apresentava, principalmente no rádio. Um profissional que tinha o dom da palavra e que de maneira simples mas muito direta, se comunicava com todos os públicos com extrema facilidade e assertividade”.

Ricardo Boechat nos deixou aos 66 anos de idade, vitimado pela queda de um helicóptero que o trazia de Campinas, onde havia realizado uma palestra, para a sede da TV Bandeirantes, no bairro do Morumbi.

O trágico acidente aconteceu às 12h15 desta segunda-feira, 11 de fevereiro, no quilometro 7 da Rodovia Anhanguera, quando o helicóptero sofreu uma pane e caiu em cima de um caminhão que trafegava no sentido interior da rodovia. Boechat e o piloto da aeronave morreram na hora.

Boechat era um dos nomes mais importantes do jornalismo brasileiro,  com uma carreira vitoriosa que começou no início dos anos 1970 no extinto jornal “Diário de Notícias” do Rio de Janeiro.

Ele ganhou três prêmios Esso de Jornalismo, vários prêmios Comunique-se como melhor âncora de rádio e TV, comentarista e apresentador de programa jornalístico. Ele passou por várias redações importantes como dos jornais “O Globo”; “O Estado de S.Paulo” e “Jornal do Brasil” e desde 2006 ancorava o “Jornal da Band”, principal noticiário da emissora.

Desempenhava a mesma função nas manhãs da rádio BandNews FM, transmitido para todo o Brasil, e assinava uma coluna semanal na revista “IstoÉ”.

Mediador dos grandes debates políticos dos últimos 12 anos, Boechat era uma unanimidade nacional como o mais corajoso e bem informado jornalista da televisão brasileira. Sua morte inesperada deixa um grande vácuo na nossa imprensa.

O corpo de Ricardo Boechat foi velado no MIS (Museu da Imagem e do Som) até as 14 horas desta terça-feira (12/02) e teve uma grande frequencia de um público que aprendeu a admirar seus comentários e suas opiniões pelo rádio e pela televisão. O corpo do jornalista foi cremado, em uma cerimônia privada apenas para a família.

O jornalista deixou seis filhos, quatro do primeiro casamento e duas meninas do segundo casamento com Veruska Seibel, além da mãe, dona Mercedez Boechat e um neto.

museudatv

museudatv

 
Apoio
ABCD Nossa Casa
ABCcom
ABERT
ABTU
ACESP
Apodec
Centro Universitário Belas Artes
BRAVI
Coleção Marcelo Del Cima
Comunique-se
Fórum SBTVD
Grupo Observatório
Gugu Vive
IBEPEC
Kantar Ibope Media
O Fuxico
Radioficina
RITU
SET
Sindicato dos Radialistas de São Paulo
Toda Tela
TUB
TudoRádio
Universidade Anhembi Morumbi
APJ
UBI
Vela – Escola de Comunicação
 

Siga-nos nas Redes Sociais