Museu da TV, Rádio & Cinema


FERREIRA NETTO


Joaquim Antônio Ferreira Netto nasceu em São Paulo no dia 2 de janeiro de 1938. Jornalista, foi colunista do extinto jornal Folha da Tarde, do Grupo Folha, em São Paulo. Mas sua inclinação era pela comunicação oral. Assim, logo que conseguiu, ele entrou em emissoras de rádio e televisão. Inteligente, risonho, agitado, embora de corpo volumoso, estava na TV Tupi de São Paulo, logo nos meados da década de 60. Sua inclinação, desde logo, foi para a política.

E alguns anos depois, transferiu-se para a TV Excelsior. Ali apresentou, entre outros, o programa “A Hora e a Vez”, em horário que ele criou na televisão paulista, ou seja, à meia noite. Nessa emissora chegou à direção artística, mas a TV Excelsior estava em seus estertores e foi Ferreira Netto, em pessoa, quem entrou no ar, às 18h40 do dia 30 de setembro de 1970, dentro do programa: “Adélia e Suas Trapalhadas”, com Adélia e Átila Iório, para avisar que a emissora estava sendo caçada. Ferreira Netto foi a última imagem da TV Excelsior de São Paulo. Ele apresentou depois seu programa na TV Record, em 1978. Era o “Programa Ferreira Netto”, que esteve, com o mesmo formato, ainda no SBT, na Rede Bandeirantes, na Abril Vídeo, na TV Gazeta, na Rede Mulher, na TV Manchete e na CNT.

O programa promovia debates entre dois ou três convidados sobre política, economia e relações internacionais. Foi Ferreira Netto, quem mediou o primeiro debate da TV brasileira entre os candidatos ao Governo de São Paulo, Franco Montoro e Reynaldo de Barros. Tanta dedicação e força, foram reconhecidas e o jornalista ganhou muitos prêmios, em sua área. Recebeu o “Roquette-Pinto”, o prêmio “Governador do Estado”, o “Troféu Imprensa”, o prêmio “APCA” (“Associação Paulista dos Críticos de Arte”), o “Troféu Bandeirantes” e o prêmio “Homem de Visão”.

Em 1990, o jornalista, apaixonado por política, candidatou-se ao Senado Federal, mas perdeu para Eduardo Suplicy.

Ferreira Netto faleceu em São Paulo, aos 64 anos, às 21h25 do dia 04 de agosto de 2002, por falência múltipla dos órgãos. Ele, que apresentou com garra e força o seu programa e esteve no ar de 1965 a 2000, sempre com boa audiência, deixou saudade em todos os seus amigos.

 
Apoio
ABCD Nossa Casa
ABCcom
ABERT
ABTU
ACESP
Apodec
Centro Universitário Belas Artes
BRAVI
Coleção Marcelo Del Cima
Comunique-se
Fórum SBTVD
Grupo Observatório
Gugu Vive
IBEPEC
Kantar Ibope Media
O Fuxico
Radioficina
RITU
SET
Sindicato dos Radialistas de São Paulo
Toda Tela
TUB
TudoRádio
Universidade Anhembi Morumbi
APJ
UBI
Vela – Escola de Comunicação
 

Siga-nos nas Redes Sociais