Museu da TV, Rádio & Cinema

Ronda das Horas



Para os fãs do rock a música “Rock Around the Clock” é o hit que deu a largada para a explosão do gênero nos Estados Unidos e no mundo. Lançada em 1954, ela foi fazendo sucesso lentamente. No início vendeu só 75 mil cópias nos Estados Unidos. Mas quando a música virou trilha do filme “Sementes da Violência – Blackboard Jungle” em 1955, o disco explodiu em vendas. A interpretação de Bill Haley e seus Cometas (foto), para a música composta em 1952 por Max C. Freedman e James E. Myers, foi usada na abertura e nos créditos finais do filme. Fez tanto sucesso entre a juventude que a plateia permanecia nos cinemas até o último fotograma, para cantar e dançar diante da tela. Foi o primeiro rock a figurar com destaque na famosa revista musical Billboard, uma bíblia para os fãs e artistas.

É logico que essa onda também chegou ao Brasil. E como era comum na época, a gravadora Continental correu contra o tempo e lançou uma gravação da música, na língua original, num disco de 78 rotações, aquele discão preto com um selo no centro. O filme em cartaz por aqui era um chamariz para o disco.

Para essa tarefa a gravadora escolheu a única figura do seu cast que falava inglês. Assim coube a Nora Ney (1922-2003), uma popular cantora de samba-canção, a primazia de ter gravado o primeiro rock no Brasil. A gravação era em inglês, mas a “bolacha” levou o nome de “Ronda das Horas”.

Alguns dias depois do lançamento do disco a música já estava nas paradas. E a juventude, na empolgação, acabava destruindo cadeiras dos cinemas onde o filme estava em cartaz. Não deu outra: a exibição do filme foi proibida. Segundo um juiz de menores da época, Aldo de Assis Dias, o novo ritmo tinha “trejeitos exageradamente imorais”.

A famosa Revista do Rádio, na sua edição da última semana de novembro de 1955, trazia “Ronda das Horas” como o disco mais vendido no Rio de Janeiro. Ele tinha sido lançado uma semana antes.

Em 1957, Cauby Peixoto (1931-2016), que tinha excursionado nos Estados Unidos lançou “Rock and Roll em Copacabana”, criação de Miguel Gustavo, que entrou para a história como o primeiro a fazer um rock em português. Mas isso já é uma outra história.

Ouça aqui: https://www.youtube.com/watch?v=7U5JfoiHSJs

M.A.Z./ 24-06-2021

Marcos A. Zago

 
Apoio
ABCD Nossa Casa
Apodec
Centro Universitário Belas Artes
Coleção Marcelo Del Cima
Comunique-se
Grupo Observatório
Sindicato dos Radialistas de São Paulo
Toda Tela
Universidade Anhembi Morumbi
 

Siga-nos nas Redes Sociais