PRÓ-TV

Surge uma bomba em 1959 na TV: o vídeo tape



Para o diretor Cassiano Gabus Mendes (1927-1993), “a chegada do vídeo tape foi, ao mesmo tempo, um bálsamo e uma bomba para todos nós. Mas com certeza, foi graças a ele que a qualidade do que ia para o ar, melhorou muito”.

O vídeo tape, mais conhecido como VT, surgiu nos Estados Unidos em 1956, no formato quadruplex. Tratava-se de uma fita de material plástico, muito fina, com uma cobertura de partículas magnéticas  usadas para registrar imagens televisivas. No Brasil, a estréia do equipamento aconteceu em 1959, em uma transmissão realizada no Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, pela TV Continental.

O novo equipamento facilitou e barateou a produção para a televisão, já que os programas podiam ser gravados e editados previamente, e transmitidos posteriormente. Ele também permitiu que o mesmo programa passasse a ser enviado e colocado no ar  por várias emissoras espalhadas pelo Brasil.

Com o vídeo tape, as emissoras passaram a investir mais nos grandes anunciantes, já que o retorno comercial era muito maior e podia ser avaliado nacionalmente. O novo sistema também provocou a “briga” pela audiência entre todas as emissoras que estavam no ar.

O formato quadruplex foi abandonado na década de 1970 e deu espaço para o U-Matic que utilizava fitas cassete de ¾ de polegada e deu o primeiro passo para o sistema digital.

O VT deixou perplexos atores, diretores e produtores. Eles imaginavam que gastariam muito mais tempo gravando todas as cenas com perfeição, e logo no início, o sindicato dos radialistas e profissionais de TV quase conseguiu proibir que o equipamento passasse a ser usado constantemente.

Como dissemos acima, a primeira imagem via VT foi ao ar na TV Continental do Rio de Janeiro, durante uma festa. Foi dado um close no relógio do repórter Carlos Pallut (1927-1972), que indicava que eram 15h, só que a imagem foi ao ar durante um show dirigido por Haroldo Costa e apresentado pela atriz e apresentadora Riva Blanche (1937-1999), exatamente às 21h.

As primeiras imagens podiam ser gravadas antecipadamente mas ainda não havia a possibilidade de editá-las. Isso só viria acontecer em setembro de 1960, quando a TV Tupi, dentro do “TV de Vanguarda”, exibiu o teleteatro “Hamlet”, que tinha direção e adaptação de Dionísio Azevedo, e os nomes de Luis Gustavo, Maria Helena Dias, Lima Duarte e Laura Cardoso no elenco.

A inauguração da capital federal, Brasília, também em 1960, foi outro momento marcante do uso do vídeo tape. A gravação feita pela TV Alvorada da inauguração oficial da cidade foi registrada em uma fita, que viajou rapidamente para São Paulo, e permitiu que a TV Record a exibisse no mesmo dia, à noite.

A chegada do vídeo tape foi talvez a maior revolução para as nossas emissoras, desde que a primeira imagem da TV Tupi foi ao ar em setembro de 1950.

Redação

A Pró-TV – Associação dos Pioneiros, Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira surgiu em 21 de agosto de 1995. Sua finalidade é preservar a memória da radiodifusão nacional e congregar toda classe que representa. Objetiva a criação do Museu do Rádio, da Televisão e das Novas Mídias (também chamado de “Museu da TV”).

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais