PRÓ-TV

A radionovela de Janete Clair faz sucesso na TV Globo



O grande público noveleiro da década de 1960 nunca se acostumou com os heróis e heroínas estilo capa e espada criados por Gloria Magadan na sua passagem pelo início da teledramaturgia na TV Globo. E o sepultamento definitivo dos melodramas da autora cubana chegou em 1969 quando a TV Globo lançou no horário das 20h a telenovela “Véu de Noiva”, a primeira obra original de Janete Clair e o seu primeiro grande sucesso na emissora carioca.

Tá certo que “Véu de Noiva” não era tão original assim. Tratava-se de uma adaptação para a televisão de uma radionovela da própria Janete que muito sucesso fez na década de 1950 na Rádio Nacional. A ideia de levá-la para a TV foi bancada por Wálter Clark e Daniel Filho e mais uma vez eles mostraram que tinham faro para o sucesso.

Tendo como cenário a cidade do Rio de Janeiro e como galã um piloto de corridas com uma carreira vitoriosa pela frente, bem no estilo Emerson Fittipaldi, além de uma heroína de família humilde e que descobre no dia do seu casamento que o noivo a trai com a própria irmã, “Véu de Noiva” conquistou os noveleiros de plantão logo no primeiro capítulo e marcou a estreia de Regina Duarte na Globo, depois de muito sucesso na TV Excelsior, fato que ajudou a emissora carioca a conquistar mais rapidamente o público paulista. Foi também a consagração de Cláudio Marzo como um dos maiores galãs da emissora.

A habilidade de Janete Clair em criar tramas e conflitos familiares, aliada a um elenco estelar muito bem dirigido por Daniel Filho e a opção de realizar muitas cenas externas, dando a novela uma agilidade que até então a emissora não conhecia, contribuíram para o sucesso imediato de “Véu de Noiva”, que se tornou a primeira novela da emissora a causar transtornos de audiência para a TV Tupi de São Paulo e a ajudar a decretar o fim da liderança da TV Excelsior nessa linha de produção.

Regina Duarte como a doce Andréa e Cláudio Marzo como o piloto Marcelo Montserrat começaram com essa novela uma parceria que viria a ser repetida, com muito êxito, várias outras vezes pela emissora. Ao lado deles estavam Geraldo Del Rey como Luciano, o ex-noivo de Andréa e Myriam Pérsia como Flor, a irmã de Andrea que fica grávida do noivo da irmã.

O grande elenco era completado por Betty Faria como a vilã Irene, ex-noiva do piloto de corridas; Cláudio Cavalcanti, Ênio Santos, Glauce Rocha, Carlos Eduardo Dolabella, Ana Ariel, Gilberto Martinho, Djenane Machado, Álvaro Aguiar, José Augusto Branco, Paulo José, Suzana de Moraes, Oswaldo Loureiro, Neuza Amaral, Zilka Salaberry, Paulo Gonçalves, Suzana Faini, Jorge Cherques, Mary Daniel, Roberto Argolo, Emiliano Queiroz, Darlene Glória, Júlio César e Rogério Fróes.

Foi também a primeira novela de longa duração da emissora, com 204 capítulos, que se estenderam de 10 de novembro de 1969 a 06 de junho de 1970.

Redação

A Pró-TV – Associação dos Pioneiros, Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira surgiu em 21 de agosto de 1995. Sua finalidade é preservar a memória da radiodifusão nacional e congregar toda classe que representa. Objetiva a criação do Museu do Rádio, da Televisão e das Novas Mídias (também chamado de “Museu da TV”).

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais