PRÓ-TV

Para superar a Excelsior a Tupi reune o melhor



“Alma Cigana” exibida na TV Tupi/SP de 2 de março a 8 de maio de 1964 foi a primeira telenovela da emissora gravada em video-tape. Antes eram todas ao vivo. Nesse quesito a Tupi não foi a pioneira. A Excelsior saiu na frente no ano anterior, com “2-5499 Ocupado”.

Mas a produção da Tupi era mais requintada. A novela reuniu dois monstros do métier. Foi escrita por Ivani Ribeiro, a partir de um original de Manuel Muñoz Rico. E teve a direção de Geraldo Vietri.

A trama era ousada para a época: durante o dia uma mulher é a irmã Estela, uma freira convicta, mas à noite vira a cigana Esmeralda e aparece dançando em um acampamento. O capitão Fernando se coloca entre as duas mulheres tentando desvendar o mistério. Seriam gêmeas, sósias ou uma mulher com dupla personalidade? O tema não teve qualquer problema com a censura ou com a igreja.

Ana Rosa, estreando em novelas, era a mocinha e Amilton Fernandes o galã. Ana viria a interpretar novamente os mesmos papéis, alguns anos depois, no remake intitulado “A Selvagem”, na mesma Tupi. E ele se tornou um dos grandes galãs das telenovelas, ao viver Albertinho Limonta em “O Direito de Nascer”. Ana Rosa é considerada a atriz com mais novelas no curriculo.

M.A.Z. / 04-07-2015

Redação

A Pró-TV – Associação dos Pioneiros, Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira surgiu em 21 de agosto de 1995. Sua finalidade é preservar a memória da radiodifusão nacional e congregar toda classe que representa. Objetiva a criação do Museu do Rádio, da Televisão e das Novas Mídias (também chamado de “Museu da TV”).

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais