PRÓ-TV

Na Excelsior nasceu o embrião de Os Trapalhões



O comediante Renato Aragão começou na televisão do Sul do país em 1963, no programa “A.E.I.O.Urca”, na TV Tupi carioca. O sucesso do humorista foi grande e em 1965 veio o convite para ele trocar a Tupi pelo Canal 2, a TV Excelsior do Rio, e participar de um sucesso da emissora, o “A Cidade se Diverte”, dirigido por Daniel Filho.

Foi no final de 1966, que nasceu na TV Excelsior de São Paulo, canal 9, o embrião daquele que está no Livro Guinness de Recordes como o programa humorístico de maior duração da televisão mundial, “Os Trapalhões”.

Inicialmente, o programa se chamava “Adoráveis Trapalhões” e tinha quatro tipos muito bem definidos: o palhaço Didi Mocó criado por Renato Aragão; o galã vivido pelo cantor Wanderley Cardoso, então um dos grandes vendedores de discos da época e presença forte da Jovem Guarda; o diplomata vivido pelo cantor e comediante Ivon Cury que vinha de muitas chanchadas cinematográficas e o estourado que era interpretado pelo lutador de telecatch Ted Boy Marino, um grande nome da TV naquela época, com direção de Wilton Franco.

O programa durou dois anos e permitiu também que o ator e humorista Dedé Santana fizesse várias participações no programa, o que criou uma grande afinidade entre ele e Renato Aragão e levou os dois, ao final do programa na Excelsior, a pularem para a TV Record, em 1968, como responsáveis pelo humorístico “Os Insociáveis Trapalhões”.

Mantendo as mesmas características do programa da Excelsior, “Os Insociáveis Trapalhões” diminuiu apenas o número de trapalhões de quatro para dois: Aragão e Dedé, mas marcou também a estreia do ator Roberto Guilherme, até hoje no programa, para servir de “escada” para os dois comediantes. Um ano antes do programa encerrar carreira na tela da TV Record, os trapalhões ganhavam mais um integrante importante com a chegada do cantor e músico Mussum.

Renato Aragão nunca gostou da palavra insociável no nome do programa que a TV Record criou, e assim que o contrato terminou, no final de 1973, a troupe foi para a TV Tupi, onde no início de 1974 estreava “Os Trapalhões”, que no seguinte voltava a ser um quarteto com a chegada do humorista Mauro Gonçalves, mais conhecido como Zacarias.

“Os Trapalhões” ficaram até o final de 1976 no ar na TV Tupi, mas como a emissora já vivia momentos difíceis com problemas de infraestrutura e atraso no salário dos comediantes, um convite irrecusável da TV Globo os levou para a emissora carioca em dezembro de 1976. A partir daí o quarteto se transformou em campeão de audiência na TV e nas bilheterias do cinema nacional, realizando até dois filmes por ano.

Redação

A Pró-TV – Associação dos Pioneiros, Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira surgiu em 21 de agosto de 1995. Sua finalidade é preservar a memória da radiodifusão nacional e congregar toda classe que representa. Objetiva a criação do Museu do Rádio, da Televisão e das Novas Mídias (também chamado de “Museu da TV”).

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais