PRÓ-TV

A morte da atriz Maximira Figueiredo



Morreu, aos 79 anos, nesta segunda-feira, 15 de outubro, a atriz e dubladora Maximira Figueiredo, uma das pioneiras da televisão brasileira. Ela foi vítima de uma câncer de pulmão e morreu na cidade de Praia Grande, no litoral de São Paulo, onde morava há alguns anos.

Maximira Figueiredo começou na televisão em novelas e teleteatros da TV Paulista, como “Neli” (1956), “O Guarani” (1959), “Marina” (1965) e “Cadeia de Cristal” (1965). Ela também deu vida a uma fada no programa infantil “Sessão Zás Trás”

Ao lado de Hebe Camargo, nos anos 1960, apresentou o programa “O Mundo é das Mulheres”. No cinema, atuou em filmes como “O Vendedor de Linguiças” (1962), em que interpretou a filha de Mazzaropi.

Se destacou também como dubladora de séries japonesas como “Jaspion”, “Jiraiya” e “Changeman”, e em filmes como “Corina, Uma Babá Quase Perfeita” e “Junior”.

Na televisão ela se destacou na novela “Cavalo Amarelo” em 1980 na TV Bandeirantes e depois em “Pérola Negra” no SBT, em 1998, como a vilã Rosália Pacheco, e ainda na emissora fez a novela “Amor e Ódio” em 2001 e o humorístico “Ô… Coitado!” ao lado de Gorete Milagres.

Redação

A Pró-TV – Associação dos Pioneiros, Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira surgiu em 21 de agosto de 1995. Sua finalidade é preservar a memória da radiodifusão nacional e congregar toda classe que representa. Objetiva a criação do Museu do Rádio, da Televisão e das Novas Mídias (também chamado de “Museu da TV”).

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais