PRÓ-TV

Homero Silva,homem público culto e pioneiro apresentador



Homero Domingues da Silva , paulistano do Cambuci, nasceu em 4 de fevereiro de 1918, filho de Eloi Domingues da Silva e de Candida da Silva. Em 1937, com pouco menos de 20 anos estréia na Radio Difusora de São Paulo, a famosa PRF-3, sendo contratado por seu diretor artístico Fernando Getulio Costa, o criador do famoso programa infantil “Clube do Papai Noel”.

Após ser apresentado pelo radialista Ita Ferraz, esse programa radiofônico para crianças passou a ser comandado pelo jovem Homero Silva e em muito pouco tempo se transformou em sucesso de público e de crítica, revelando muitos talentos infantis que seguiram carreira artística como Vida Alves, Wilma Bentivegna e Erlon Chaves.

Um dos fundadores do Clube dos Papagaios em 1944, juntamente com um de seus mestres, Otavio Gabus Mendes, Homero Silva conciliava a sua vitoriosa carreira no “dial” paulistano com o curso de Direito na tradicional Faculdade Jurídica situada nas Arcadas do Largo São Francisco, no Centro de São Paulo. Pertencendo à turma de bacharéis de Direito da USP de 1945, cola grau em 5 de janeiro de 1946, tendo sido colega de bancos universitários do ator Paulo Autran, da escritora Lygia Fagundes Telles e do ecologista Paulo Nogueira Neto.

Com todo esse sucesso, que lhe garantiu o titulo de Locutor Preferido dos ouvintes paulistanos do ano de 1948, Homero Silva é escolhido, na qualidade de principal locutor da Radio Tupi de São Paulo (PRG-2) para ser o mestre de cerimônias da inauguração da Televisão no Brasil na magna data de 18 de setembro de 1950, apresentando ao publico atrações com Mazzaropi, Walter Forster e Lia de Aguiar.

No ano seguinte, conciliando importantes programas no rádio e na televisão, é eleito vereador na Cidade de São Paulo, com 6.618 votos, tendo sido o parlamentar mais votado da municipalidade paulistana naquele pleito de 14 de outubro de 1951.Tomando posse no início de 1952, Homero representa a União Democrática Nacional (UDN), sendo colega de bancada do radialista Nicolau Tuma, um amigo de longa data.

Durante o seu primeiro mandato que se encerra no ano de 1955, Homero tem um trabalho elogiável e competente, lutando por relevantes assuntos de sua cidade natal, bem como ajudando radialistas e artistas da Televisão que surgia, como a campanha pela Casa Própria, que teve grande repercussão naquela época. Em 1954, é eleito deputado estadual, com quase catorze mil votos, passando a trabalhar na Assembléia Legislativa de São Paulo,  em 1955. Pouco tempo depois é escolhido para presidir a Comissão de Educação e Cultura do Parlamento Estadual, fato que também ocorreu quando era vereador em sua querida Paulicéia.

Mas seu trabalho como apresentador de Televisão continuava coroado em êxito, pois em 1953, Homero Silva é escolhido pela crítica televisiva o Melhor Apresentador de TV daquele ano, recebendo o Premio Roquette Pinto, seu primeiro no segmento TV, pois no ano anterior já tinha sido agraciado na categoria Rádio. Em 1955, com uma grande popularidade, Homero Silva se lança candidato à Prefeitura de São Paulo, por seu partido do coração, a UDN, escolhendo como seu companheiro de chapa o amigo Nicolau Tuma. No pleito de 22 de maio daquele ano, é derrotado pelo senador Lino de Mattos, do PSP, obtendo a segunda colocação com quase cem mil votos.

Líder dos radialistas de São Paulo, Homero Silva foi eleito presidente provisório da nascente ARESP (Associação dos Radialistas do Estado de São Paulo) em 1954, além de também ter sido presidente da SEARE (Sociedade de Economia e Assistência ao Radialista Associado), a Associação dos Funcionários das Emissoras dos Diários Associados de  São Paulo, e de ter sido um dos diretores do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo entre 1953 e 1955 (na gestão do também colega Dr. Freitas Nobre). E com o mestre e amigo Nicolau Tuma, teve um ótimo trabalho na Associação Brasileira de Radio (ABR).

Nos anos 1960, Homero Silva apresenta o programa da Tupi, “Clube dos Artistas”, primeiramente junto com a atriz Márcia Real e depois ao lado de Cacilda Lanuza. E em 1964, eles são convidados pela redação da revista “São Paulo na TV” para serem os apresentadores da festa de entrega do Troféu Imprensa de 1964, que teve uma comovente homenagem ao entrevistador e dramaturgo Silveira Sampaio, prematuramente falecido em novembro daquele ano.

Depois, Homero Silva ainda presidiria a TELESP, na gestão do também colega de Direito, governador Abreu Sodré, além de trabalhar no ano de 1967  na TV Excelsior, apresentando os programas “Clube do Vovô” e “Mistura Santistas, Mistura Artistas”.

No dia 19 de setembro de 1981,aos 63 anos,  falece Homero Silva, notícia que enlutou o Radio, a Televisão, a Politica e o Jornalismo de São Paulo e do Brasil,que perdeu um de seus nomes mais competentes, cultos e coerentes.

Rodolfo Bonventti

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais