PRÓ-TV

Centenário de Blota Junior, o “príncipe da elegância” na TV



José Blota Junior nasceu em Ribeirão Bonito, interior de São Paulo, em 03 de março de 1920, filho de José Blota e de Amelia Blota, e era irmão de  Luizir Blota,  de Geraldo Blota e de Gonzaga Blota que também tiveram trajetória artística ligada a TV.

Blota Junior começou bem cedo no jornalismo no periódico esportivo “O Esporte da Cidade de São Paulo” e na Rádio Kosmos (PRE-7) a atual Rádio América de São Paulo, e em 1942 com 22 anos se torna o mais jovem diretor artístico da história do rádio paulistano, na Rádio Cruzeiro do Sul (PRB-6).

Em 1943, com 23 anos, ingressa na Rádio Record a convite de seu proprietário, Paulo Machado de Carvalho, seu veterano nas arcadas da Faculdade de Direito da USP. Lá trabalhou com ícones como Murilo Antunes Alves e em 27 de setembro de 1953 tem papel central na fundação da TV Record, canal 7 de São Paulo. No mesmo ano, ganha o Roquette Pinto em Rádio, o seu quarto em quatro edições do Troféu em forma de Papagaio.

Em 1954, se elege pela primeira vez deputado estadual, quando obteve 8.276 votos pelo Partido Social Progressista do doutor Adhemar de Barros. Entre 1955 e 1959 também trabalha como parlamentar na ALESP, voltando ao Palácio 9 de Julho para novo mandato entre 1963 e 1971 (pois também foi eleito em 1962 com 14.093 votos e em 1966 com 27454 votos).

Em 1961 ganha o Troféu Imprensa e o Roquette Pinto de TV, se tornando o mais premiado apresentador de programas de televisão do Brasil na década de 1960. No inicio dos anos 1970, trabalha por pouco tempo na TV Tupi canal 6 do Rio de Janeiro  no famoso “Erontex Copa 70”, sendo novamente premiado com o Troféu Imprensa em 1970.

Ao mesmo tempo, se destacava na política sendo líder do governador Laudo Natel na Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, e deputado federal com grande votação em 1974, já filiado a Aliança Renovadora Nacional (ARENA) com 54.998 votos.

Sempre pioneiro, foi o primeiro secretário de Esportes, Lazer e Turismo do Estado de São Paulo (Gestão Adhemar de Barros) e também o primeiro secretario de Comunicações do Estado de São Paulo (Gestão Paulo Maluf) , período em que muito ajudou a TV Cultura.

Grande admirador e conhecedor de música, foi parceiro de Denis Brean e teve suas composições gravadas por Hebe Camargo, Isaurinha Garcia e Linda Batista. Nos anos 1980, levou o seu “Blota Junior Show” para a TV Bandeirantes, mas viveu um momento bem triste com a despedida de sua esposa Sonia Ribeiro, que morreu prematuramente em 1987 e foi uma das maiores apresentadoras da TV.

Em 1996, volta a TV, a convite de Silvio Santos, para apresentar o programa “Gente que Brilha” no SBT, onde documenta comoventes homenagens a Marília Pera, Tônia Carrero, Emerson Fittipaldi e Hebe Camargo, uma amiga fraterna e sua colega dos tempos de Record.

Membro fundador da cadeira nº 23 da Academia Paulista de Jornalismo, em 17 de outubro de 1977, escolheu como Patrono o romancista Antônio de Alcântara Machado. A exemplo do amigo Manuel de Nóbrega, a quem homenageou postumamente no Plenário da Camara dos Deputados em 1976, sempre esteve ligado a benemerência e a ajuda aos pobres e aos seus colegas profissionais.

Blota Jr, que foi vice-presidente do Museu da TV, partiu aos 79 anos em 22 de dezembro de  1999, mas seu legado de competência, trabalho e elegância estão mais vivos do que nunca, especialmente na Família Blota, que continua honrando o exemplo ético e profissional deixado pelo dr. José Blota Junior, que foi biografado por Fernando Morgado no livro “Blota Jr – A Elegância no Ar”, publicado pela Editora Matrix em 2005.

Viva Blota Junior, apresentador de TV, jornalista, advogado, radialista, político, comunicador e comentarista esportivo, o elegante “Príncipe das Comunicações Paulistas”, o maior apresentador de produções televisivas de todos os tempos.

Redação

A Pró-TV – Associação dos Pioneiros, Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira surgiu em 21 de agosto de 1995. Sua finalidade é preservar a memória da radiodifusão nacional e congregar toda classe que representa. Objetiva a criação do Museu do Rádio, da Televisão e das Novas Mídias (também chamado de “Museu da TV”).

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais