PRÓ-TV

Cathy Stuart, a estrela argentina-brasileira e tupiniana



Oni Judith Canales Santana nasceu na província de Córdoba, na República Argentina em 28 de novembro de 1930, filha de Alberto Canales e Conchita Stuart e descendente de duas tradicionais famílias circenses: os Canales (de origem espanhola) e os Stuart (de origem escocesa). Seu irmão mais velho, Walter Stuart, se consagrou como premiado ator de televisão e foi um dos fundadores do Museu da Televisão, ao lado de sua esposa Mora Stuart.

A menina Oni viraria a atriz Cathy Stuart e é contratada logo no segundo ano de existência da primeira emissora de Televisão Brasileira, a TV Tupi canal 3  de São Paulo, no final de 1951, pelo seu jovem diretor artístico Cassiano Gabus Mendes. É e exatamente a produção teledramatúrgica do mestre Cassiano, intitulada “Dois a Dois” que propicionou a sua estréia nos teleteatros brasileiros em 04 de dezembro de 1951.

Nesta atração televisiva Cathy contracenou com Yara Lins, Astrogildo Filho e Lima Duarte, que foram seus colegas na TV de Assis Chateaubriand por anos a fio. Em 1952, trabalha na Tupi com outros grandes pioneiros da TV como Luiz Gallon, Maria Cecília, David Neto, Aída Mar, Torresmo, bem como com seus irmãos Henrique Stuart e Walter Stuart e também com sua cunhada Mora Stuart  e tem grande destaque ao interpretar personagens cômicos na peça de Luiz Iglesias e Miguel Santos intitulada “Priminho de Coração”.

Em 1953, continua trabalhando em produções na TV Tupi, em especial no vitorioso “TV de Vanguarda”, em especial na adaptação de “Arsênico e Alfazema”, de  Joseph Kesselring. Naquele mesmo ano, protagoniza “Garota 53”, tendo como seu colega de seriado o jovem e já talentoso Walter Avancini. E não tem como se esquecer de seus brilhantes trabalhos na Radio Tupi de São Paulo, a popular PRG-2, onde além de atuar em programas humorísticos, foi cantora em atrações musicais onde já chamava a atenção por seu raro talento o jovem músico e futuro maestro Erlon Chaves.

Chega o ano do IV Centenário de São Paulo, e Cathy continua atuando no “TV de Vanguarda”, onde encena o moderno texto de Noel Coward (grande dramaturgo britânico, honrado com o titulo de “Sir” em 1970 por sua majestade a Rainha Elizabeth II) intitulado  “Inimigos Íntimos”. No ano seguinte, trabalha na novela não diária da Tupi paulista, intitulada “Ciúme”, onde contracena com colegas como Percy Aires e Laura Cardoso numa produção de Fernando Balleroni.

Em 1956,  a jovem e brilhante Cathy Stuart trabalha, juntamente com Jayme Barcellos, Cesar Monteclaro, Henrique Martins e Turibio Ruiz, num bonito texto da amiga Vida Alves, para o programa “Você é o Autor”, com direção de TV  do também colega Walter Tasca. No ano seguinte, volta a trabalhar com Vida Alves em sua radionovela “Em Cada Coração um Amor”, que foi veiculada na Radio Tupi e que também tinha em seu elenco grandes nomes radiofônicos da época, como Lidia Costa, Lia de Aguiar e Homero Silva.

Em 1958, mais um encontro artístico de relevo na aplaudida trajetória de Cathy Stuart trabalhando no elogiado Teleteatro “TV de Comédia”, onde foi dirigida por Antunes Filho, na clássica adaptação da obra de Armando Gonzaga, “Cala a Boca Etelvina”, que teve produção televisiva de Heitor de Andrade, um dos grandes propulsores de sua carreira artística e que contou no elenco também como Dionísio Azevedo, Amândio Silva Filho, Geny Prado, Marlene Morel e Odilon Del Grande.

Trabalhou em sua longa trajetória no saudoso Canal 3, TV Tupi com colegas importantes como Tito Bianchini, Wilma Bentivegna e seu querido sobrinho Adriano Stuart, Cathy sob a liderança da amiga de décadas, Vida Alves, foi uma das fundadoras da Associação dos Pioneiros, Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira, o atual Museu da TV em 1995, tendo sido registrada como a sócia de nº 27 da Pró-TV.

Em 2011 Cathy passaria a compor a Diretoria do Museu, tendo sido uma das suas sócias mais assíduas enquanto residiu na cidade de São Paulo. Nos últimos anos, Cathy, que também fez história ao trabalhar com Oscarito na ribalta teatral, se mudou para a cidade de São Luis, a capital dos maranhenses, onde faleceu aos 88  anos, em 1º de agosto de 2017, concluindo com brilho uma vida dedicada a arte circense e televisiva brasileira.

 

 

Redação

A Pró-TV – Associação dos Pioneiros, Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira surgiu em 21 de agosto de 1995. Sua finalidade é preservar a memória da radiodifusão nacional e congregar toda classe que representa. Objetiva a criação do Museu do Rádio, da Televisão e das Novas Mídias (também chamado de “Museu da TV”).

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais