< BIOGRAFIAS | VOLTAR
PAULO FIGUEIREDO

BIOGRAFIA DE PAULO FIGUEIREDO PARA O MUSEU DA TELEVISÃO BRASILEIRA, EM 2000

Seu nome real é Paulo Figueiredo. Nasceu em São Paulo, capital, a seis de março de 1940, filho de Sebastião Figueiredo e Dionísia Alves Figueiredo.

O pai foi dono de lavanderia em São Paulo, mas também músico amador, desenvolvendo uma excentricidade musical, tocando sozinho e simultaneamente seis instrumentos. Fez sucesso em shows e programas diversos de rádio , quase sempre como calouro, ganhando muitos prêmios, na famosa, “Era do Rádio”. Na TV Tupi, anos 50, participou algumas vezes do “Circo Bom-Bril”, sob o comando do Walter Stuart. Paulo e seu irmão mais novo, Napoleão, também participavam do número, como cantores. Sua mãe eventualmente participava como atriz de peças, que eram encenadas em circos itinerantes.

Iniciou, já naquela época, uma carreira como cantor e músico, que se prolongou até o início dos anos 60, tendo gravado discos e tocado em conjuntos. Em 1963, Paulo Figueiredo começou na TV Excelsior, Canal 9 de São Paulo. Fez muitos programas da série: “Quem quiser que conte outra”. Alguns anos depois, começou a participar de novelas, como “O Grande Segredo”, O Caminho das Estrelas” e tantas outras, indo depois para a TV Tupi, no ano de"1967 . Ali  fez inúmeras novelas, principalmente trabalhando com Geraldo Vietri, como ator e colaborador nos textos.  Apareceu em: “Antônio Maria”.

Ator, diretor e autor de TV, rádio, teatro e cinema, freqüentou cursos pertinentes à área dentro do universo artístico, privilegiando, como tantos outros, o autodidatismo, a experiência, que nascia do aprender, fazendo. Carreira iniciada em TV, no ano de 1963, sendo que, antes, Paulo  trabalhou na área musical, como cantor e violonista. As atividades de ator na TV começaram, através de uma personagem que também precisava tocar violão. Em teatro Paulo Figueiredo  fez “Sua Excelência, o candidato” (1984/85), depois “Prima com chantilly” (1989/90), no Rio, com excursões pelo Brasil.

No ano de 2000 fez “Bodas de papel”, no Teatro dos Grandes Atores, na Barra da Tijuca, Rio. Fez incursões eventuais no cinema, nos anos 70, como ator, roteirista e diretor. A carreira sempre foi mais dedicada à TV, com sucesso, como “Marrom Glacê”, “Éramos Seis” e tantos outros. No início dos anos 90 escreveu a minissérie “Ilhas das Bruxas”, para a TV Manchete. Foi roteirista do programa “Fronteiras do Desconhecido”, também da TV Manchete. Foi roteirista e co-diretor de alguns especiais de fim-de-ano do Roberto Carlos, na TV Globo, ao lado de Augusto César Vanucci.

Foi ainda roteirista e co-diretor de uma programa inserido no “Fantástico”, chamado “Os Paranormais”. Como ator fez Almeida, na telenovela “Éramos seis”, do SBT. Foi autor – roteirista da telenovela “Sangue do meu sangue”, ainda no SBT; Foi ator na novela “Por amor”, da TV Globo, Diretor da novela “Serras Azuis”, da TV Bandeirantes. Fez trabalhos diversos como autor/roteirista de adaptações para o rádio, pela LBV; Foi ator na novela “Terra Nostra”, da TV Globo. Teve participação na novela “Laços de família”, em 2000. Na fase Globo, seu maior destaque foi na novela “Marrom Glacê”. Muitos amigos foram sendo feitos por Paulo Figueiredo. O grande amigo de sempre foi Tony Ramos. Sua esposa é Maria Emília , que lhe deu três filhos, Paulo César, Gisele e Luciana , que por sua vez lhe deu um neto , João Pedro. Seu maior sonho, é o de, pelos caminhos de seu ofício de artista, contribuir para fazer com que a estada nesta terra, tenha valido a pena, ainda que só para ter plantado uma única semente de Amor.

Em 2007, Paulo Figueiredo esteve nas novelas: "Luz do Sol" e "Amor e Intrigas", da Rede Record de Televisão. Em 2009, fez ainda "Promessas de Amor". Em 2010, a minissérie "A História de Esther". E em 2012, outra minissérie, "Rei Davi" e a novela "Balacobaco".