PRÓ-TV


ZILKA SALABERRY


Zilka Salaberry de Carvalho nasceu em família de artistas. É filha, neta e bisneta de artistas. Também suas irmãs Lourdes Mayer, que foi casada com Rodolfo Mayer e Alair Margareth, foram atrizes. Todos ligados ao teatro.

Zilka nasceu no Rio de Janeiro, a 31 de maio de 1917. A família queria que as crianças que nasciam se afastassem do teatro, tanto que Zilka estudou e formou-se em Ciências Econômicas, mas seu destino não foi diferente. Após seu casamento com Mario Salaberry, que era ator, foi ela para o teatro, adotando o sobrenome Salaberry. Estreou no Teatro Municipal de Niteroi, com um pequenino papel. E gostou e se emocionou muito. Ingressou depois para a Companhia de Procópio Ferreira; a seguir na Companhia de Dulcina de Moraes.

Seus papéis foram melhorando, fazendo peças maravilhosas e diversificadas, mas sempre mais comédias do que dramas. Trabalhou também com Alda Garrido e com Dercy Gonçalves. Eram épocas áureas, casas cheias e tudo sem subvenção do governo. Viajando de trem ou de navio, as companhias rodavam todo o Brasil. Mas aí aconteceu um grande drama na vida de Zilka. Seu marido faleceu num desastre de automóvel e ela ficou sozinha, com um filho pequeno. Sofreu tanto, que nem sabe como viveu por sete anos. Foi só depois disso que voltou novamente a se animar e levada pela irmã Lourdes Mayer, pioneira da televisão, tentou esse veículo. Foi muito difícil. Ninguém ouvia Lourdes, quando ela indicava a irmã. Foi Fabio Sabag quem a chamou e lhe deu um pequeno papel. Mas Zilka foi tão bem, que o papel cresceu e ela nunca mais saiu da televisão.

Na verdade ela havia feito um pequenino papel em “Camera Um” de Jacy Campos, mas foi no Teatrinho Trol de Sabag, que ela realmente se mostrou. Foi também fazer o T.B.C. Teatro Brasileiro de Comédia. Zilka foi crescendo a cada dia. Fez TV Tupi, mas foi na TV Globo que se salientou. E eis que ganhou um grande presente ”Vovó Benta”, em: “O sítio do pica-pau amarelo”, série de total sucesso. Uma adaptação da obra de Monteiro Lobato, Zilka fazendo a velha e doce Dona Benta, encantou o país. E isso jamais foi esquecido pelo público. Fez algumas outras novelas, mas onde quer que vá, é sempre chamada como Dona Benta e é tão reverenciada, que chegam a lhe pedir a benção. Zilka se emociona só de lembrar. São momentos de muito amor e carinho, que ela teve pela vida à fora. Seu filho único, Mario Geraldo, lhe deu três netos e Zilka sempre companheira, avó solidária, avó brincalhona e bem humorada.

Zilka Salaberry faleceu em 10 de março de 2005, aos 87 anos.

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais