Museu da TV, Rádio & Cinema


OFÉLIA ANUNCIATO


Ofélia Ramos Anunciato, a Ofélia Anunciato nasceu no dia 27 de dezembro de 1924. Pioneira da televisão, estreou como culinarista na TV Santos (canal 5 de Santos), uma sub-estação da TV Paulista, também pertencente às Organizações Victor Costa, no dia 11 de fevereiro de 1958.

Passados seis meses, estava na TV Tupi de São Paulo, sob a direção de Abelardo Figueiredo. Com ele, tornava-se culinarista do primeiro programa feminino da televisão brasileira: “Revista Feminina”, apresentado por Maria Thereza Gregori. Ficou na TV Tupi até 1968, quando ela, o programa e toda a equipe se transferiram para a Rede Bandeirantes. No canal 13 paulistano( TV Bandeirantes) acabou ganhando um programa próprio: “Cozinha Maravilhosa de Ofélia”, que apresentou por mais de trinta anos.

Antes de entrar para a televisão, Ofélia escrevia uma coluna sobre culinária no jornal Tribuna de Santos. O interesse pela cozinha começou cedo. Aos 8 anos, puxava um banquinho e se debruçava sobre o fogão da fazenda da família em Garça, interior de São Paulo. Fritava batatas, fazia bolos, inventava receitas. Aos poucos, os quitutes começaram a ser desejados por toda a família. Aos 20 anos, ela estava servindo um lanche ao avô do marido e a um amigo dele, que era dono da “Tribuna de Santos”, quando recebeu o convite para escrever no jornal. A coluna ganhou o nome de “Um docinho para mamãe”.

Escreveu 14 livros (todos publicados pela Editora Melhoramentos), nos quais ensina os segredos das cozinhas brasileira, portuguesa e italiana. Em 97, foi premiada com o Jabuti, na categoria Produção Editorial, pelo livro “Ofélia, o Sabor do Brasil”. Na feira do livro de Frankfurt, o livro foi considerado um dos 13 mais lidos do mundo.

Uma das figuras mais cativantes da televisão brasileira, com um público fiel, já chegou a receber cerca de 20 mil cartas por mês de fãs de todo o país, pedindo conselhos, receitas, sugestões para datas especiais ou simplesmente manifestando carinho. Querida pelo público – donas de casa, adultos e crianças – e estimada pelos seus companheiros de emissora, Ofélia sempre dividiu seu carinho entre os telespectadores e a família – a filha Beth, o genro Jorge e os netos Rodrigo e Juliana.

O segredo do sucesso das receitas de Ofélia sempre foi fundamentado nesta sua frase: “Na verdade, não há segredos na arte de cozinhar. Se você cozinha gostando de cozinhar, certamente será capaz de fazer um prato saboroso. E se tiver por perto alguém que goste de ensinar a cozinhar, como eu gosto, então não haverá nenhum problema”.

Todos os grandes mestres da culinária no Brasil passaram pela “Cozinha Maravilhosa da Ofélia” (1968) como convidados: Luciano Boseggia (Fasano e Gero), Sergio Arno, Dona Lucinha, Alencar de Souza (Santo Colomba), Manuel Andrade (Andrade) e Mao Hun Tseng (Shian San) entre muitos outros.

Ofélia faleceu às 3 da manhã do dia 26 de outubro de 1998, no Hospital da Beneficência Portuguesa, onde esteve internada por quinze dias. O corpo foi velado na Câmara Municipal de São Paulo, no Auditório Prestes Maia. A culinarista foi enterrada no Cemitério Memorial de Santos, com a tristeza detodos os seus inúmeros amigos.

 
Apoio
ABCD Nossa Casa
ABCcom
ABERT
ABTU
ACESP
Apodec
Centro Universitário Belas Artes
Coleção Marcelo Del Cima
Comunique-se
Grupo Observatório
Gugu Vive
Kantar Ibope Media
O Fuxico
Radioficina
RITU
SET
Sindicato dos Radialistas de São Paulo
Toda Tela
TUB
Universidade Anhembi Morumbi
APJ
UBI
Vela – Escola de Comunicação
 

Siga-nos nas Redes Sociais