PRÓ-TV


MARIA THEREZA GRÉGORI


Maria Thereza Gregori Lopes Rocha era o nome completo de Maria Thereza Grégori, que por muitos anos apresentou a “Revista Feminina”, na televisão brasileira. Os avós vieram da Itália, e os pais, de quem ela muito se orgulha, eram Henrique Gregori Junior e Ester Paraventi Gregori. O pai de Maria Thereza era engenheiro e teve um fim trágico: foi assassinado e morreu perdoando seu algoz. A viúva ficou com sete filhos, muito unidos e bons.

Ela era da família Paraventi, um dos primeiros torradores de café, de São Paulo. Maria Thereza formou-se contadora, ela que nasceu na capital e estudou também pintura. Desembaraçada, porém, bastante jovem conseguiu emprego de secretária, pois precisava ajudar a mãe viúva. Era vaidosa e sempre deixava um dinheirinho de lado, para comprar sapato, roupa. Começou a participar de um grupo, que se chamava “Letras e Artes”, e esse grupo fazia exposições, palestras.

Foi assim que foi trabalhar na Escola de Arte Dramática, dirigida pelo Dr. Alfredo Mesquita, e que foi celeiro de muitos artistas de teatro, cinema e, mais tarde, televisão. Maria Thereza conhecia todos. Nos primórdios da Televisão Tupi ela foi chamada por Abelardo Figueiredo, para apresentar a “Revista Feminina”, o primeiro programa do estilo, na televisão. À tarde, horário morto, até então. E ali a moça aconteceu. A Revista tinha de tudo, era realmente uma revista. A capa, sempre apresentada por Maria Thereza, era a pauta da revista. E dentro: moda, culinária, arte, divulgação de eventos, assuntos médicos, etc. Por treze anos esse programa esteve na TV Tupi.

Foi ainda nessa fase que Maria Thereza, após uma viagem internacional, resolveu fazer o “Mercado de Trocas”, também uma novidade no Brasil, à molde do “Mercado das Pulgas”de Paris.. Bem inteligente, Maria Thereza passou a fazer isso também fora da televisão, e conseguiu um trabalho, uma fonte de renda extra. Casou-se, já não era tão garota, mas diz ela que por acaso conheceu Átila, quando assistia a um espetáculo de teatro e ele lhe foi apresentado. E, uma semana depois, já a pediu em casamento. Estão casados há mais de 40 anos e têm 2 filhos: Marcelo e Átila Junior.

Da TV Tupi, Maria Thereza foi para a TV Bandeirantes. Novo sucesso. Ficou lá por vários anos também. E mais tarde esteve ainda na TV Gazeta. Essa terceira fase do programa foi a mais curta. Ficou no ar apenas um ano. Mas, ao todo, por mais de 25 anos a pioneira Maria Thereza apresentou às mulheres um programa de gabarito. Preocupou-se, ela sempre afirma, não só em divertir, mas ensinar e ajudar. Muitas mulheres, ela tem cartas que confirmam, tiveram suas vidas mudadas, ao assistir “Revista Feminina”, ou por ouvir um conselho médico, ou por aprender uma arte, um artesanato, e depois colocar isso na prática, tornando-se profissionais.

Maria Thereza sempre fazia concursos, encontros, festas. A característica principal de Maria Thereza, realmente, era gostar das pessoas e as tratar com toda naturalidade. Estar diante das câmeras, para ela, era tão natural como estar em sua casa, no meio de amigas, de gente conhecida. Verdadeira líder de gente, principalmente de mulheres, nasceu para se comunicar, para fazer amigos. Essa foi Maria Thereza Grégori. Faleceu em 17 de dezembro de 2013, aos 87 anos.

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais