PRÓ-TV


MÁRCIA REAL


Márcia Real, em verdade se chama Eunice Alves. É de família humilde, mas teve um avô advogado, que logo percebeu a inteligência, a vivacidade, a memória da netinha, e que desejava que ela fosse advogada também. Lá dentro de si, Márcia dizia: “Eu quero é ser artista”. Nascida em São Paulo, às margens plácidas, ou seja, no bairro do Ipiranga, em 06 de janeiro de 1931, Márcia tem uma irmã, Regina, e sempre foi muito apegada à mãe, mas foi o pai, que era “ponto” em uma companhia amadora de teatro, que levava a menina a ver espetáculos. E ela ficava fascinada.

E um dia, já grandinha, já adolescente, cruzou na rua com Bibi Ferreira, a grande atriz. Estava ali traçado o seu destino. No mesmo momento, após ligeira conversa, ganhou um papel na peça “Minhas queridas esposas”. Antes disso já tinha tido uma experiência na rádio Tupi com o famoso radialista e diretor, Otavio Gabus Mendes. Com o teatro foi logo viajar, para isso enfrentando toda a família. Tornou-se uma bonita mulher, alta, loira, atraente.

E assim começou em televisão, onde ganhou imediatamente um papel, já que tinha tudo para isso, inclusive a voz, que é forte e marcante. E foi graças ao tipo físico e à voz que fez muitos “TVs de Vanguarda” e “TVs Comédia”. Fez papéis como: Lady Macbetti, Ana Karenina, e inúmeros outros, na TV Tupi de São Paulo. Depois passou para a TV Excelsior, onde ganhou papéis importantes em muitas novelas, tendo participado com grande relevância em “Redenção”, a mais longa novela que já esteve no ar, com 652 capítulos. Quando ainda estava na Rádio eTelevisão Tupi, casou-se com o violinista Joel, com quem teve a primeira filha, Márcia Regina. Mais tarde separou-se e casou-se com Lauro, com quem teve sua segunda filha Karina. Márcia, porém, não foi só atriz, Sua inteligência e dom natural para falar, fizeram dela uma grande apresentadora de televisão.

Salientou-se no “Clube dos Artistas”, ao lado de Airton Rodrigues, no qual ficou por 10 anos,recebendo e entrevistando osconvidados. Ganhou vários prêmios como atriz. Entre eles três Roquete Pinto, o principal prêmio de televisão da época. Participou de vários filmes, mas gosta de salientar o filme “O Sobrado” com texto de Walter George Durst e direção de Cassiano Gabus Mendes. Continuou, porém, constantemente em teatro, com aparições brilhantes, dentre elas como: Marlene Dietrich, na peça “Piaf”, ao lado de Bibi Ferreira, onde realmente ficou exatamente igual à famosa atriz de cinema, a ponto do público se levantar ea aplaudir de pé.

Há pouco tempo atrás esteve em teatro, com a alegre e engraçada peça: “O Jogo da Velha”, onde ela própria se divertia muito. Márcia Real costuma dizer: “Hoje estou sozinha, isto é, sem marido, mas para mim a vida é a família, as filhas, os genros, e netos, e à noite, o teatro. E tendo isso tenho tudo. Com todas as injustiças, a ingratidão, ou dificuldades que possa ter passado, sou grata à Deus, pois fui uma menina pobre, mas lutei, consegui, venci. E se pudesse recomeçar, faria exatamente tudo o que fiz”.

Suave, alegre, soturna,sensível,irada,raivosa, plena, criativa, esta é e sempre foi a atriz Márcia Real, um dosgrandes nomes dentre as atrizes brasileiras.

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais