PRÓ-TV


KID VINIL


Antônio Carlos Senefonte nasceu em Cedral, no interior de São Paulo, em 10 de março de 1955.

Quando tinha 23 anos esteve na Inglaterra, e admirou-se por tudo o que viu. Percebeu que no Brasil sua geração ainda estava ligada a sons antigos, enquanto lá fervilhava um outro clima musical, com muito mais energia. Essa viagem despertou uma postura que seguiria pelo resto da vida. De volta ao Brasil, juntou-se aos amigos e montou uma banda, a AI-5 onde era o guitarrista. Os ensaios aconteciam no bairro do Bixiga, em São Paulo. E a fonte de inspiração eram os Rolling Stones. Gravaram sua primeira “demo”. O grupo seguia animando festas, mudaram o nome para Verminose e mais tarde para Magazine.

Ted Gaz, Lu Stopa e Trinkão completavam o grupo. A banda caiu no gosto dos fãs, foi muito chamada para programas de tv e fez alguns hits como “Tic Tic Nervoso”, “Sou Boy” e “A Gata Comeu”, que agora são clássicos do rock Brasil. O quarteto se desfez em 2004. Kid retornou com a banda várias vezes, sempre em projetos musicais paralelos. A personalidade, o visual e as ideias de Kid Vinil o levou a se envolver com o jornalismo, o radio e a tv.

Em 1987, o cantor participou do programa “Boca Livre”, na TV Cultura. De 1989 a 1993, apresentou o “Som Pop”, da mesma emissora. Ainda foi VJ da MTV, onde trabalhou de 1999 a 2001. Entre os programas que participou na emissora estava o “Lado B”, voltado para a música alternativa. Em 2000 apresentou o programa “Música na Rua”, realizado pela gravadora Trama. Ia ao ar pela Rede 21. Em 2014 participou do programa “Aprendiz Celebridades” na Record.

Trabalhou na Rádio Excelsior (hoje CBN), para onde levou várias bandas. Foi na posição de radialista que se tornou um porta-voz da sua geração, se posicionando contra a ditadura militar, solidificando seu nome de guerra: Kid Vinil. Esteve também na Rádio Antena 1, na 89 FM. Na radio Brasil 2000 FM esteve a frente dos programas “Digital Session”, “O Liquidificador” e “Happy Hour”.

Como jornalista escreveu para Bizz, Folha de S.Paulo e O Estado de S.Paulo, entre outros veículos.

Foi executivo da gravadora Trama e deve-se a ele muitos lançamentos no mercado musical do país.

Em 2008, lançou o livro “Almanaque do Rock”, sobre a história do rock desde os anos 1950. Estava planejando escrever mais um livro.

Teve sua história contada na biografia “Kid Vinil: Um Herói do Brasil”, escrita pelo jornalista Ricardo Gozzi e pelo guitarrista e produtor musical Duca Belintani.

Ultimamente vinha atuando como DJ em festas por todo o Brasil, escrevia para o portal Yahoo! e comandava um programa semanal na Rádio 89 FM (SP), desde 2015. E fazia shows pelo Brasil.

O eterno boy Kid Vinil morreu no dia 16 de abril, em São Paulo, após sofrer uma parada cardíaca. Estava com 62 anos.

 

Atualizado em 21-05-2017 / M.A.Z.

 

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais