PRÓ-TV


J. HAWILLA


Seu nome é José Hawilla. Ele nasceu no interior de São Paulo, filho de uma família que tinha um laticínio , em São José do Rio Preto. J. Hawilla foi locutor esportivo de rádio e de televisão. Deixou , porém o microfone e as câmeras, e foi se constituir no maior empresário de esporte do Brasil, pois é dono da Traffic Sports, que comanda há 30 anos.

J. Hawilla começou a carreira de locutor esportivo de rádio no interior paulista. Mas mudou-se para a capital, em 1967 e foi contratado pela Rede Bandeirantes, fazendo rádio e também televisão, sempre na área esportiva

Em 1970, foi para a Rede Globo, segundo ele, por indicação da apresentadora Marília Gabriela, que lá estava a fazia o programa: “ Mulher”, líder de audiência nas manhãs da Globo. J. Hawilla chegou a ser apresentador do importante programa: “ Globo Esporte”. Mas enfrentou um problema sério, pois liderou uma greve na emissora e foi afastado do cargo por cem dias, em 1979..

Diz ele: “Aquilo foi terrível para mim. Tinha casado há pouco tempo.Já tínhamos um filho de seis meses e eu fiquei desempregado. Como fazer? Eu não estava preparado para ficar sem emprego. Então jurei a mim mesmo, que teria negócio próprio e nunca mais dependeria de ninguém. Fui recontratado pela Globo. Mesmo assim, abri meu negócio. De dia apresentava o programa. De noite, fazia tudo para emplacar como empreendedor. E ainda estudava. Fiz Direito. Me formei. Fiz de tudo. Cheguei a ter 30 carrinhos de “ cachorro-quente”. Em 1980, comprei a “Traffic”, por 15 mil reais. Era uma pequena empresa que fazia anúncio em ônibus. Percebi que eu tinha ali um filão de negócio:a comercialização de anúncios em placas, ao redor dos estádios de futebol. Eu trabalhava dia e noite. Só não tinha tempo de dormir”.

“A comercialização nos campos de futebol era uma bagunça no Brasil. O cara dava dois sacos de cimento de presente ao clube e colocava uma placa no estádio, por dois anos. Pois transformei a “ Traffic” numa empresa de publicidade de futebol. Chegamos a estar em 25 estádios e ganhamos muito dinheiro. É claro, pedi demissão da Globo. Era 1982.E eu havia cumprido meu juramento. Não dependia mais de ninguém”.

Depois Hawilla fez ligações com a CBF, com o diretor da época Giulitte Coutinho, e fez com que os estádios fossem muito limpos e que só eles podiam comercializar as placas comerciais. Aos poucos montou outros braços da mídia. , como eventos, venda de jogadores, etc.

Hawilla ainda critica os clubes brasileiros, que têm muito mais torcedores que os europeus, e no entanto são pobres, ao contrário deles. O Corinthians tem 24 milhões de sócios, e o Flamengo 26 milhões e são pobres. O Manchester tem apenas 6 milhões e é muito rico.

Mas Hawilla também diz: “ A Copa do Mundo em 1914, será benéfica para todo o país, se soubermos trabalhar bem.. Ainda me preocupam os aeroportos”.

J. Hawilla é casado há mais de 33 anos com Eliane. Eles têm três filhos: Stefano, Renata e Rafael. Os dois rapazes trabalham com ele

Em 2010, quando o “ Traffic” completou 30 anos, sob seu comando, Hawilla fez uma festa para 300 pessoas, e a ela compareceram grandes nomes do futebol e altas autoridades do país.

J. Hawilla venceu.

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais