PRÓ-TV


EGBERTO GISMONTI


Egberto Gismonti nasceu na cidade do Carmo, em 5 de dezembro de 1947. De família musical mineira, o menino começou a tocar piano aos cinco anos. Ainda na infância , estudou no Conservatório Musical, vários instrumentos. Estudou flauta, clarinete, violão, piano.

Em 1968,Egberto participou de um festival da TV Globo, com a canção: ” O Sonho”,que atraiu o público e a crítica. Música que ele gravou em 1970.. Ele já havia gravado: ” Egberto Gismonti”, em 1969. Em 70 gravou ainda: ” Janela de Ouro” e ” O Computador”. E ele continuou gravando ano após ano.

O que marcou o artista, porém,e´que ele dedicou sua vida artística à pesquisa musical, à experimentações complexas, à instrumentos inusitados. Voltou-se quase que exclusivamente para a música instrumental.

Em 1971, Egberto gravou: ” Orfeu Novo”. Em 72: ” Água e Vinho”. Em 73: ” Egberto Vismonti- Árvore”. Em 74: ” Academia de Danças”. Em 76: ” Corações Futuristas”.Em 77: ” Dança das Cabeças” e ” Carmo”. Em 78: ” Sol do Meio Dia” e ” Nó Caipira”. Em 79: ” Solo” , E. Gismonti-N. Vasconcelos e M. Smetak”, ainda: “Mágico” ,” Antologia Poética de João Cabral de Melo Neto” e ” Antologia Poética de Ferreira Gullar”.

Em 1980: ” Antologia Poética de Jorge Amado”, ” A Viagem do Vaporzinho Tereré”, ” O Girigível Tereré”, ” O País Das Àguas Luminosas”, ” Sanfona”, ” Circense”. Em 81: ” Em Família”. Em 82: ” Fantasia”, ” Guitar From ECM”,” Sonhos de Castro Alves”. Em 83: ” Cidade Coração”, ” Egberto Gismonti e Hermeto Paschoal”.Em 84:” Works”, ” Egberto Gismonti”, ” Duas Vozes”. Em 85: ” Trem Caipira”, versões de Villa-Lobos”. Em 86: ” Almas”, ” Egberto Gismonti_ Live”. Em 88: ” Feixe de Luz” e ” Pagador de Promessas”. Em 89: ” Dança dos Escravos”. Em 89: ” Kuarup”-trilha sonora do filme e ” Duo Gismonti”. Em 91: ” Infância” e “Amazônia”.Em 92: ” El Viaje” e ” Casa das Andorinhas”, Em 93: ” Música de Sobrevivência”. Em 93: “Egberto Gismonti”- ao vivo no Festival de Freiburg Proscenium e ” Egberto Gismonti”- ao vivo em São Paulo. Em 96: ” Zig-Zag”, Em 97: ” Meeting Point”. Em 2001: In Montreal” e em 2009: ” Saudações”.

As gravadoras brasileiras ofereceram resistência ao estilo muito pessoal do artista. Então ele se voltou mais para trabalhos na Europa. Inclinou-se aos sintetizadores, ao folclore, às raízes do Brasil, à música indígena, tendo mesmo morado por um tempo, quando voltou ao Brasil, entre os índios yawaiapiti, do Alto Xingu.

Gismonti continuou, porém , gravando sempre e participando de discos alheios, além das turnês de sucesso pela Europa; Nos anos 80, ele recomprou todo o seu repertório e tornou-se um dos únicos compositores do país, dono de seu próprio acervo.

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais