PRÓ-TV


DIVA PACHECO


Diva Pacheco se chamava Maria Diva Lucena de Mendonça. Ela nasceu na cidade de Panelas,no agreste de Pernambuco, em 1939. E faleceu em Caruaru, também Pernambuco, em 20 de julho de 2012. Ela foi atriz, diretora de arte e a “faz tudo”, em Nova Jerusalém, no espetáculo “Paixão de Cristo”, que é considerado o maior espetáculo de arte ao ar livre do mundo.

Diva era filha de Epaminondas Cordeiro de Mendonça e de Sebastiana Lucena de Mendonça. Ela foi atriz, figurinista, carnavalesca, escritora e artista plástica.

Diva Pacheco casou-se com Plínio Pacheco, o criador do espetáculo: “Paixão de Cristo”. Antes de seu casamento, houve problemas familiares, pois o moço era desquitado, o que para a família dela era um obstáculo intransponível, ou melhor: “Um Pecado Mortal”. Mas ela insistiu e se casou. E foi o “braço direito” do marido artista.

Ela também era artista. Fez filmes. Participou dos filmes: “Noite do Espantalho”; “A Compadecida” e “Batalha dos Guararapes”.

Diva também trabalhou na Rede Globo de Televisão, como diretora de arte. Fez as novelas: “Roque Santeiro” e “Morte e Vida Severina”. E como atriz, fez, por último, no Rio de Janeiro, a novela de Miguel Falabella: “A Lua Me Disse”.

Teve participação constante em desfiles de fantasia e foi vencedora de vários prêmios.

Em Nova Jerusalém, no município de Brejo da Madre de Deus, Plínio e Diva puseram de pé o espetáculo, que ficou conhecido em todo o mundo.

Diva, por mais de 10 anos, fazia o papel de Maria, na “Paixão de Cristo”. Mas fazia mais. Ela lavava, passava, cozinhava para toda a trupe, arrebanhada entre a população local praticamente quase todo o elenco. E, na maioria das vezes, eles eram analfabetos. E cabia à Diva, ler para eles e fazê-los decorar seus papeis. Uma missão difícil, árdua, prolongada, mas que Diva fazia com amor e carinho.

Assim mesmo o casal teve tempo de formar uma bela prole, formada pelos filhos Xuxuca,Nena e Robinson, (além de Paschoal Plínio, já falecido.) Plínio, o marido, considerava a mulher uma das heroínas de Tejucupapo- as mulheres míticas, do distrito de Goiana, que a ferro e paus, expulsaram o exército holandês.

A atriz recebeu muitas homenagens em vida, sendo que uma das últimas foi na Câmara Municipal do Recife, quando recebeu a Comenda José Mariano.

Diva Pacheco já estava doente, quando participou em 2012, da temporada “Paixão de Cristo”. O marido havia falecido. E ela ficou à frente de tudo. Mas no dia 20 de julho de 2012, faleceu, por complicações de um câncer.

Diva Pacheco foi sepultada, ao lado do marido, no município de Brejo da Madre de Deus. Os amigos seguiram o cortejo, que foi guiado por seis cavaleiros do espetáculo: “Paixão de Cristo”. E todos rezaram para que ali ela descanse em paz.

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais