PRÓ-TV

A história da TV Paulista



O canal 5 de São Paulo foi inaugurado em 14/03/1952. Pertencia inicialmente ao grupo do deputado Ortiz Monteiro. O diretor de teatro italiano Ruggero Jaccobi era então o superintendente da emissora. Com 3 câmeras, a TV Paulista funcionava precariamente num modesto prédio de apartamentos na Rua da Consolação, quase esquina da Av. Paulista. Mas foi assim mesmo que nasceu a 1ª estação concorrente da pioneira Tupi. Vindo do rádio carioca, Antonino Seabra dirigiu um dos primeiros seriados da tv brasileira: “O Invisível”, inspirado no célebre personagem “O Sombra”. Em 1953, Gilberto Martins programou “O Circo do Arrelia” para animar a garotada aos domingos, e a atriz Cacilda Becker foi contratada, impulsionando a produção de teleteatros, que viraram uma especialidade da TV Paulista.

Em 1955, Ortiz vendeu o canal às Organizações Victor Costa, que compreendiam também as Rádios Excelsior e Nacional. No ano seguinte a emissora mudou de endereço, instalando-se em um prédio de 5 andares na Rua das Palmeiras. As emissoras de rádio da OVC que ali funcionavam foram transferidas para a Rua Sebastião Pereira, onde havia um auditório que também foi aproveitado para a realização de programas de tv. Vindo da Tupi, Dermival Costa Lima tornou-se o diretor geral da estação, tendo Cláudio Petraglia como supervisor e Alvaro de Moya na direção do núcleo de dramaturgia. Ainda em 1955, esta equipe foi responsável pelo lançamento do “Teledrama Três Leões”, aos sábados. Em 1957, Manoel da Nóbrega lançou seu famoso humorístico “Praça da Alegria”. Sílvio Santos também despontou na TV Paulista: a estréia do animador foi em meados dos anos 50, apresentando e participando de diversas atrações da emissora.

Em 1963 foi lançado o “Programa Sílvio Santos”, que bateria recorde de permanência no ar, apresentado em diversas emissoras. Sem conseguir competir com a Tupi, a TV Paulista sucumbiu e mudou novamente de dono – e de nome. Repassado ao empresário Roberto Marinho em novembro de 1964, o canal foi reestruturado gradualmente para a implantação da TV Globo paulista.

Crédito obrigatório: Texto retirado do “Almanaque da TV – 50 Anos de Memória e Informação”, Ricardo Xavier (Ed. Objetiva, 2000), com autorização do autor.

Elmo Francfort

O autor é Gestor de Conteúdo da PRÓ-TV, além de consultor de televisão, na área de pesquisa e teledramaturgia. Faz parte da associação desde 2001. Já escreveu inúmeros livros sobre a história da televisão brasileira, sua área de especialidade.

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais