PRÓ-TV

O programa que fez todo mundo descer a Rua Augusta



Em sua primeira fase, a TV Record foi sempre a emissora que mais investiu em programas musicais e na nossa própria música. Em 1965, com a proibição da transmissão de jogos de futebol do campeonato paulista ao vivo, nas tardes de domingo, surgiu a ideia de um programa musical voltado para o público jovem.

Inicialmente o programa deveria se chamar “Festa de Arromba”, mas o título definitivo veio do publicitário Carlito Maia, que pegou a expressão “Jovem Guarda” de um discurso do líder soviético Lenin. Como o rock and roll já fazia sucesso nas vozes de Celly Campello, os irmãos Tony e Carlos Gonzaga, entre outros, a ideia do programa foi criar um estilo de rock tupiniquim, muito nosso, ao qual se deu o nome de Iê-Iê-Iê, expressão retirada de um filme dos Beatles de 1964, “Os Reis do Iê-Iê-Iê”, um grande sucesso de bilheteria.

No comando do programa, três jovens cantores ainda desconhecidos do grande público, mas que não precisaram de mais do que dois programas para transformar as “jovens tardes de domingo” em uma revolução na TV e na música brasileira. O sucesso do primeiro programa, levado ao ar em 22 de agosto de 1965, às 16h30, na telinha da TV Record, foi tão grande que, na semana seguinte, todo mundo queria saber quem eram Roberto Carlos, Wanderléa e Erasmo Carlos, o trio de jovens cantores que comandava a atração.

Ao vivo do Teatro Paramount e em vídeo tape para várias outras capitais brasileiras, o programa chegou a ser o líder absoluto no horário por quase dois anos e a dar uma audiência de três milhões de espectadores por programa.

Naquelas tardes de domingo, a rua Augusta congestionava e se transformava no grande point dos jovens daquela época. Roberto, Wanderléa e Erasmo vendiam de tudo que se relacionasse com o programa: de discos a bonecos personalizados; de roupas a botas; de guitarras a blusas e acessórios.

O programa também tinha suas atrações fixas e vários cantores e grupos musicais devem à Jovem Guarda o início das suas carreiras. O trio central (o Rei, a Ternurinha e o Tremendão) se fazia acompanhar de súditos como Wanderley Cardoso, Eduardo Araújo, Rosemary, Jerry Adriani, Martinha, Sérgio Murilo, Renato e seus Blue Caps, Ronnie Von, Sylvinha, Os Golden Boys, Sérgio Reis, Ronnie Cord, Trio Esperança, Bobby di Carlo, Meire Pavão, The Jordans, Ed Wilson, Os Vips, Leno e Lilian, Demétrius,  Cleide Alves, Os Incríveis, The Jet Blacks e até Agnaldo Rayol.

O programa “Jovem Guarda” terminaria no final de 1968.

Rodolfo Bonventti

 
Band
CNT
Cultura
Gazeta
Globo
Record TV
RedeTV
SBT
TV Brasil
 

Siga-nos nas Redes Sociais